Financiamento de imóveis 2021

Publicidade

Após a retomada do crescimento em 2020 em relação ao ano anterior, as perspectivas para o financiamento de imóveis em 2021 continuarão se expandindo. Sair do aluguel e comprar um imóvel sempre foi e ainda é o sonho de grande parte da população. Isso porque, além de se contentar em pagar o que precisa. Ter uma casa também representa o início da construção do patrimônio familiar. A boa notícia é que as possibilidades de financiamento imobiliário estão em alta no mercado, permitindo que mais pessoas se tornem proprietários de sua própria casa. Para fazer frente ao aquecimento do setor imobiliário, este artigo reúne as principais formas de financiamento para a compra de imóveis. Para que todos possam planejar e chegar ao melhor contrato.

Mercado imobiliário

Publicidade

Segundo dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), embora o número de lançamentos no mesmo período de 2019 tenha diminuído 30,7%, as vendas no primeiro trimestre de 2020 aumentaram 22,3%. Isso se deve principalmente à manutenção da taxa básica de juros, que auxilia na emissão de crédito imobiliário. Em junho de 2019, o Comitê de Política Monetária do Banco Central, manteve a taxa da selic em 6,5% ao ano.

Financiamento

Publicidade

Financiamento de imóveis 2021

Poucas pessoas conseguem levantar fundos suficientes para comprar sua própria casa à vista, especialmente na compra da primeira casa. A principal opção da grande maioria da população é o recurso ao financiamento imobiliário. Na prática, trata-se de um empréstimo bancário que pode ser utilizado para a compra de casa.

Funciona assim: mediante aprovação, o credor (banco ou instituição financeira responsável) paga ao vendedor (construtora, incorporadora ou imobiliária) em dinheiro, e o devedor (financiando o financiamento) assume em contrapartida a dívida. Além das parcelas mensais e anuais com cobrança de juros, para a obtenção do financiamento o comprador ainda deve pagar uma entrada.

Quais os tipos de financiamento

Os seguintes recursos podem ser usados ​​para financiar a compra de propriedades residenciais, casas ou apartamentos novos ou usados: Serviço de Depósito a Prazo (FGTS), integrante do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). O construtor ou desenvolvedor responsável pelo projeto. De acordo com o SFH, os consumidores têm as menores taxas de juros (nunca superiores a 12%), mas o valor dos imóveis e os tetos de financiamento variam (regularmente e entre as diferentes regiões).

Além disso, o crédito é concedido somente quando a parcela mensal não ultrapassar 30% da renda total da família, o que afetará o valor do ingresso. Para o SBPE, não há restrição de receita para obtenção de financiamento. No entanto, se o preço esperado do imóvel for superior ao teto do SFH, a taxa de juros pode ser superior a 12% ao ano.

vantagens

1. Livre-se do aluguel

Parar de pagar aluguel trará mais estabilidade financeira. Para poder destinar os recursos antes gastos com aluguel para formar um patrimônio familiar, isso é muito importante.

2. Uso imediato

Após a aprovação do financiamento, a pessoa é legalmente reconhecida como proprietária do imóvel.

3. Parcelamento e extensão

Existem alguns bancos que permitem o parcelamento de financiamentos imobiliários em até 35 anos (420 meses). No entanto, depende da idade do comprador. Na verdade, a idade limite para o pagamento é de 80 anos e seis meses. Em outras palavras, pessoas com mais de 45 anos têm menos tempo financeiro.

 

Publicidade

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here